POLÍTICA!
Deus me livre! Já temos nossos PARTIDOS internos.

Alguns líderes e figuras proeminentes do nosso meio eclesiástico têm somado ao conteúdo de seus livros e artigos assuntos que tratam do envolvimento entre a “Igreja, Política e seus Partidos”, com isso, fazem suas considerações e discutem se, todo este envolvimento está sendo coerente e apoiado pelas Escrituras.
Na verdade isto têm sido uma perda de tempo muito grande, pois, se não estamos dando conta de controlar ou manter a ordem, a decência e a moral de nossos próprios grupos internos, quanto mais se continuarmos nos envolvendo com Partidos Políticos externos ou seculares.
Se formos levar em consideração o significado gramatical da expressão, entenderemos que PARTIDO, têm o sentido de: dividido em partes, quebrado, fragmentado. A expressão também quer dizer: Organização cujos membros programam e realizam uma ação comum com fins políticos e sociais; facção. Associação de pessoas unidas pelos mesmos interesses, ideais, objetivos; liga.
Claro que, parte do sentido enunciado aqui é bom, e não o estou adulterando, apenas estou caçoando ou fazendo um motejo, levando em consideração o cerne deste assunto.
Sejamos sinceros em reconhecer que a igreja (como: Comunidade), em alguns casos, tem se tornado um grupo totalmente fragmentado, quebrado.
Infelizmente não existe mais aquela unidade tão almejada por Cristo (Jo 17. 21-23). Lamentavelmente não existe aquela unidade tão bem esboçada e explicada por Paulo de Tarso (1Co 12).
A bem da verdade, uns destes Partidos, começaram a atuar ainda quando o povo de Israel peregrinava pelo deserto.
Atualmente são muitos que se organizaram internamente em nosso “meio”, mas, permita-me comentar apenas sobre alguns deles como sendo os mais importantes.
Pois bem, o primeiro deles é o PMA (Partido dos murmuradores ativos), que vem de tempos remotos antes de Jesus. Aliás, a expressão “ativos” vem do fato de estarem sempre atuantes em seu trabalho de murmuração. Os seus queixumes, os seu lamentos e burburinhos ao pé do ouvido tentando difamar e maldizer o próximo, são constantes. Este Partido é composto de detratores e agitadores de tempestades em copos d’água, ou seja, para esta facção partidária, qualquer coisinha serve de motivo para entrarem em ação. Infelizmente na atual igreja do Senhor os membros desse Partido têm se multiplicado em demasia, causando grandes estragos ao corpo de Cristo.
Depois deste, há quase dois milênios depois, estamos vendo emergir do meio da religiosidade judaica o partido do PF (Partido dos Fariseus), que, diga-se de passagem, deu um trabalho lascado para o Mestre em seu tempo de ministério. Este é um dos grupos mais antigos do Cristianismo. Não se sabe ao certo a data da sua criação, o que se sabe, é que, sua origem está no Judaísmo a mais de dois mil anos (a.D). Hoje estão com seus ramos espalhados por todo o mundo com nomes ou títulos diferentes. Estas ramificações são incríveis. A maioria já tem até nome fantasia...! Ora vejam só...! Os seus métodos de ordem e decência, baseado em regrinhas e costumes são inigualáveis...! É isso aí...! Se você está duvidando pode pedir a um destes grupos que eles terão o maior prazer em lhe mostrar os seus famosos RI’s(Regulamentos internos); então saberá que tais Partidos são muito organizados. E o mais impressionante é que, tudo isso é para tentar mostrar que, são melhores que os outros. Algumas destas subdivisões do PF são muito conhecidas no Brasil e no exterior, pois estão dentro de denominações históricas como: Deus...(!?); Cristã...(!?), algumas frações das ...de Deus (!?) e outros segmentos chamados Pentecostais.
De lá para cá muitos outros tem se levantado formando novos Partidos com nomes e métodos de trabalho inovadores, mas o fundamento sempre foi o mesmo – “Promoverem-se ou projetarem-se, alcançando posições mais elevadas, com a intenção máxima de satisfazerem seus próprios ventres” –.
Um dos mais famosos atualmente é o PPM (Partido dos Pastores Mercenários). Este é composto por maioria de membros do alto escalão eclesiástico e suas comissões administrativas. Esse partido adora a prática do Nepotismo. Eu não poderia deixar de falar acerca do PPR (Partido dos Pastores Regionais); Esses são mais comuns em alguns movimentos pentecostais que cresceram ou crescem através de uma liderança centralizada. Esses pastores fazem parte de um mesmo partido, mas vivem se mordendo entre si; tentam derrubar uns aos outros; outros buscam meios para destituir colegas que presidem sob regiões grandes e de boa renda; ainda outros são verdadeiros bajuladores, aduladores que ficam em cima do presidente da denominação, babando de palavras lisonjas; e tudo isso para galgar um cargo, região ou salários melhores.
Existem muitos outros partidos como:
PCR (Partido do Crente Reformado). São aqueles crentes que vivem pecando, errando e servindo de escândalo para o Evangelho, mas quando ficam sabendo de uma festa na igreja, correm para lá a fim de receberem uma “reformada espiritual” que dura só um pouco de tempo e depois voltam todos ao normal.
PCM (Partido do Crente Mundanizado). São aqueles crentes que olhamos e não sabemos distinguir o que são realmente, de tantos rudimentos do velho homem impregnados em suas vidas. A sua linguagem é torpe, o modo de vestir é leviano e sem moderação, as suas práticas de vida são inescusáveis, de tão imorais que são, a duplicidade em seus valores cristãos por vezes nos deixam com náuseas, e esse Partido ainda tem a coragem de, com a cara mais lavada do mundo, dizer, “Irmão deixe de caretice! Deus só quer o coração”.
PCD (Partido do Crente Deformado). Esse Partido é daqueles crentes que nada que faça para eles presta ou está bom; são aqueles crentes que vêem defeito em tudo. Os mesmos são egoístas e invejosos.
PCC (Partido do Crente Conformado). É o Partido que está satisfeito com tudo; se houver salvação de almas ou não, batismo como o Espírito Santo ou não, crescimento espiritual ou não, renovação espiritual ou não, evangelismo ou não, culto ou não, para ele “tanto faz, como tanto fez...”
PJC coligação pró F (Partido Jovem Crente da coligação pró Ficar). Esse Partido pode ser um dos mais perigosos e sutis da força jovem, pois ele é formado pela maioria jovem; que por sua vez, estão implantando em nossas igrejas práticas mundanas da sexualidade e, com isso, andam quebrando algumas das bases fundamentais para um casamento bem estruturado e duradouro, visto que, são contra o namoro sadio e sincero, adotando assim, as maneiras ordinárias do “Ficar”, que, segundo a gíria é: Namorar sem compromisso, durante um curto espaço de tempo (às vezes, por uma noite), dar uns amassos na mina, dar um sarro, e outros significados mais levianos e grotescos... Esse Partido defende o “ficar”, ou seja: são a favor de um “relacionamento livre” que é mais conhecido pelas Escrituras como “Fornicação”, com o intuito apenas de tirar proveito e satisfazer os prazeres carnais uns dos outros; e os mesmos ainda ousam dizer: “Não tem problema!! Desde que seja somente entre nós, jovens crentes”.
Diante deste quadro deplorável, você pode imaginar a pandega que daria, se nós nos envolvêssemos totalmente com outros partidos, que não fossem os nossos “internos”.
Será que já não basta estarmos tão embaraçados com nossos partidos eclesiásticos?
Eu sei que alguém pode me criticar dizendo; “É Sr. Cícero, mas nós precisamos da política para sermos organizados”, ou... “Nós os evangélicos precisamos de alguém dos nossos, que seja sincero e fiel para nos representar perante a lei ou no poder público”.
Minha gente... acordem! E por favor, vamos deixar de falsidade e hipocrisia!
Ainda há aqueles que tentam justificar suas intromissões em Partidos políticos seculares fazendo menção de personagens bíblicos como Moisés, José, Samuel e outros. Mas os mesmos fingem não saber que, estes exemplos bíblicos tiveram ligações com propósitos ocasionais e peculiares da parte de Deus. Aliás, o único texto bíblico que reconheço (pelo menos de uma forma mais direta) nos orientando acerca do envolvimento da Igreja com Autoridades é por meio de orações e súplicas.

Lê-se assim;
2Tm 2.1,2
Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens,
Em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.

Eu acho que não é preciso explicar a claridade deste texto, mas por via de dúvidas eu direi em caráter exortativo que; se nós estamos querendo algum beneficio do governo, devemos buscar isso através da oração e súplica.
Se nós estamos precisando de leis mais favoráveis à igreja; a oração é o caminho.
Se estivermos necessitando de uma vida mais tranqüila e mansa, em relação às necessidades básicas do nosso viver cotidiano como, emprego, casa própria, preços e impostos; a resposta está na intercessão e oração, pedindo uma intervenção divina em nossos Partidos políticos Estaduais e Federais para que consigam aprovar emendas e melhorias de leis que nos beneficie nestas áreas do nosso dia a dia.
Vamos considerar que, se formos elaborar esses casos em números estatísticos, a cada cem cristãos que trilharam por este caminho, um ou dois escapam ilesos; o resto se corrompe rapidamente em seu vai e vem frenético pelos corredores do poder político.
Muito destes políticos “evangélicos” se deixam levar pela avareza, ou recebem propinas, participam de lavagem de dinheiro ou se evolvem em casos extraconjugais; sem falar dos que tiveram seus nomes e os de suas igrejas expostos em escândalos de Cpi’s.
Enfim, são variáveis os casos de corrupções envolvendo cristãos políticos. E o que é pior em tudo isso é que, mesmo depois de esses escândalos serem provados em julgamento, os acusados ainda tem a maior cara de pau de irem em suas igrejas e, chegando, vão direto para a tribuna e assentam-se como se fossem uma vítima ou um mártir marcado pelas perseguições, enquanto que seus cúmplices tomam o púlpito e em defesa desses energúmenos dizem, “Irmãos vamos orar por nosso irmão candidato, pois o diabo está furioso com o nosso representante na assembléia, Aleluia! aleluia!”
Por fim eu acho que já temos muitos problemas com partidos internos em nossas igrejas, e por que não usar uma linguagem mais bíblica como, grupinhos facciosos ou partidos sediciosos que andam promovendo a divisão e contendas em nossas comunidades.
No tocante aos cristãos políticos, eu só posso dizer que para a maioria deles o fim é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas.
Alguns deles só querem ficar ricos e acabam caindo em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Fl 3.19; 1Tm 6.9.
Que Deus tenha misericórdia de nossos partidos internos, e muito mais dos cristãos simpatizantes da Política, para não se tornarem “irmãos Deputados e Vereadores”. Mas se isto acontecer, oremos para que não se percam, caindo no abismo da corrupção.

Que Deus em Cristo nos abençoe e nos encha de sabedoria e entendimento, para que não sejamos pegos como incautos na fé caindo em ciladas do inimigo de nossas almas.
Não nos afastemos da excelência e da plenitude do Evangelho de nosso Salvador Jesus Cristo.

Graças a Deus.


EX TOTO CORDE.




2 comentários:

PB.JAILSON TRAJANO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PB.JAILSON TRAJANO disse...

Caro Pr.Cícero!
Gostaria de acrescentar só apenas mas uma coisa.
Disse Jesus todo reino divido contra si mesmo será assolado;e acasa divida contra si mesma cairá.
Muito obrigada por sue comentário em nosso blog!
Gostei muito do seu também!
Que possamos orar e agir!
Esse deve ser o nosso lema!
Paz!