A mistura do santo e do profano através da mídia.



     Fico em determinados momentos deveras atordoado, preocupado e cheio de temor quando  me detenho na frente da mídia televisiva em certos horários e me deparo com certos programas que são exibidos pela Rede Globo e outras.
   Sinto-me as vezes intrigado tentando entender os verdadeiros objetivos dessas emissoras quando liberam programas como Big Brother, Amor e sexo e algumas novelas em horários considerado como 'nobre',  porém sem nenhuma nobreza em seu conteúdo, visto que, os princípios que tentam empurrar à sociedade brasileira são descaradamente hedonistas e levianos, desprovidos de quaisquer limites e respeito aos valores e princípios familiares. 
     Basta nos assentarmos um pouco  e assistirmos aquele pequeno seriado de nome 'Malhação', que hoje é reconhecido como praticamente a 'bíblia comportamental' dos jovens e adolescentes.
     Quando paramos um pouco para analisarmos os episódios desse horário da Rede Globo perceberemos o quanto a figura dos pais são desprezadas e desrespeitadas. Os adolescentes são mostrados como seres humanos totalmente alienados da importância da família para a sociedade. Os princípios de Rui Barbosa já não são mais tidos como importantes para uma sociedade saudável e de bom comportamento.
       A mídia encabeçada pela Rede Globo vem usando seus meios de comunicação para relativizar todos os valores tidos como universais em nosso sociedade. Diante de tudo isso percebe-se que até os valores de grupo não serão mais aceitos e respeitados. Um fenômeno vem acontecendo de forma sorrateira diante de nós e muitos não estão percebendo, visto que, estão usando o próprio 'direito de liberdade para nos privar da nossa liberdade'. Estamos perdendo o que é laico. Estão impondo o 'relativismo' e, quem não aderir a esses novos princípios de vida em sociedade serão considerados descartáveis para o meio.
       Infelizmente a Rede Globo tem sido um dos maiores difusores desses princípios malignizados. Hoje a mídia, divulga a sociedade evangélica como a líder em atos homofóbicos. Os pastores são tidos como anti-sociais, atrasados e obsoletos em seu comportamento e conduta. A mídia vem ensinando que adolescentes e jovens devem viver sua sexualidade e praticar sua liberdade sexual sem restrições, desde que tomem as devidas precauções, como o uso de camisinhas. Contudo a mídia não divulga as estatísticas de crianças e adolescentes estupradas por outras crianças e adolescentes. A mídia não divulga o relacionamento de adolescentes com adultos que, diga-se de passagem, nunca houve na história humana um crescimento tão alarmante nesse contexto e que, constitui-se em Pedofilia. A mídia não divulga que o fato de ela promover a destituição dos valores da família, tem levado muito dessas famílias a desestruturação, fazendo com que haja um êxodo dessas crianças para as ruas da prostituição, aonde vendem seus corpos para poderem sobreviver. Basta olharmos par o norte e nordeste de nosso País que constataremos o lado obscuro da desintegralização a família. O governo e a mídia faz vista grossa para isso e ainda tem o descaramento de se opor a seguimentos da Igreja evangélica e alguns pastores quando gritam contra toda essa podridão que vem sendo ensinado nos meios de telecomunicação. 
        Mesmo com toda essa oposição, recentemente perceberam que a massa evangélica tem crescido em nosso País, ainda que de forma meramente social e superficial. Tendo isto em vista, estão se mobilizando para criar meios midiáticos voltados para os evangélicos como 'Festival Promessas' e, convites a nomes de expressão como cantores e pastores para participarem de seus programas de grande ibop. No entanto, o que mais tem me entristecido não são as estratégias e ferramentas que as televisões tem usado para laçar  os nossos, e sim o fato de os nossos estarem desprevenidos, se deixando cair nos laços do príncipe deste século. 
         É triste perceber que já não vemos muito dos nossos crentes fazendo jus a termo 'protestante'. É triste ter que reconhecer que já não somos mais odiados pelo mundo, mas amados pelo mundo (Mt 10.22). É triste percebermos que não estamos cumprindo mais o que a bíblia nos ensina como '..., não amar o mundo, nem as coisas que no mundo há, porque...,.(1Jo 2.15)
       A intenção da mídia é nos banalizar como mais um  grupo sectárista em que há os liberais e os intolerantes. Querem a todo custo banalizar a nossa forma de viver e a nossa fé como mais uma opção religiosa como é apresentado os demais grupos religiosos. Para isso nos colocam lado a lado com umbandistas, líderes do candomblé, ateus, pensadores liberais,  padres, budistas e outros para que ideais sociológicos sejam discutidos visando o bem social comum. Contudo, muitos lideres ou pastores, se intrometem em questões que a Bíblia  nos diz  para não nos intrometermos. Digo assim porque pastores com vocação verdadeira conhecem as Escrituras e saberão que, se envolver em temas de polêmica atuais é atitude de louco e gerarão contendas (2Tm 2.23). O que o Apóstolo está querendo dizer é que algumas pessoas não são preparadas devidamente no conhecimento das Escrituras e com a luz de entendimento do Espírito Santo para discutirem com propriedade com um pastor, visto que são coisas que se discernem espiritualmente. 
         Agora o que me deixa alucinado de desgosto é saber que existem pastores que insistem em confrontar e discutir com outros, assuntos que não são desse reino e que não estão ao alcance do entendimento deles!? O nosso reino não é deste mundo! Entretanto, também não posso deixar de reconhecer que muitos desses pastores se aproveitam da mídia para se promoverem e para sua própria conveniência, cumprindo o que a Bíblia afirma em ITm 6.5. Mas eu louvo a Deus e acredito nas Palavra de Deus quando ela diz que esses que resistem a verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto a fé não irão avante, porque a todos será manifesto o seu desvario.
       Como pastores devemos nos posicionar contra essas investidas das redes de televisão e não aceitarmos os seus elogios e aplausos. 
         Muitos afirmam e ate usam a Bíblia como pretexto para se mostrarem na televisão dizendo que a 'luz deve brilhar no meio das trevas'. Sim, concordo plenamente com esse valor Cristológico. Contudo, devo dizer que, o sentido interpretativo que se popularizou desse texto está equivocado. O sentido espiritual desse texto é que a luz deve reinar de forma absoluta em meio as trevas, dissipando-a, e não como mais um ponto de luz de fósforo (um segmento da religião) que junto com outros pontos de luz de fósforo (outras religiões) trarão luz aos homens.  Essa 'luz' que os Evangelhos anunciam e que é ratificada pelos Apóstolos devem dissipar as trevas e não apoiar os princípios dessas trevas. Não adianta estarmos lá como luz nas trevas sem dissipar as trevas. Aonde estiver a luz as trevas não podem reinar. Então, quando eu olho para todos esses programas e participações  de crentes fazendo uso dos mesmos padrões dos que estão 'do lado de fora' percebo que os mesmos não estão brilhando nessas trevas, estão apoiando e mantendo a mesma.
         O nosso meio evangélico tem sofrido uma mutação ao longo do seu desenvolvimento no Brasil. Perdeu-se a inspiração e a criatividade em nossas igrejas. O que estamos presenciando hoje em dia são pastores, cantores e comunidades imitando costumes, princípios e modismos da música e de outras coisa que provocam  os ajuntamentos e aglomerações de pessoas. 
       Se vasculharmos um pouco a mídia veremos versões evangélicas de hits famosos e das piores aberrações de hits do fank e do rap. As músicas 'Esse cara sou eu' 'Gangnam Style', 'O amor e o poder ', 'As poderosas' e muitas outras já tem suas versões gospel. E o que dizer da 'Baladas gospel',  'Boate gospel', Sex Shop gospel, Nudismo gospel e outros!?
           É triste podermos constatar que nossa igreja vem perdendo sua identidade a cada dia que passa, e o que é pior, muitos não percebem isso. 
           Como eu tenho costume de dizer e já deixei isso registrado em outros artigos que, precisamos urgentemente conclamar o povo para que se voltem para o Evangelho puro e santo. Precisamos fazer com que muitos entendam que nosso 'caminho' não é um caminho 'paralelo e de imitações' e sim um caminho 
'contrário e de transformações'. 
O dia em que entendermos isso viveremos o verdadeiro e pleno Evangelho.
Voltemos ao Evangelho, voltemos às Escrituras. Voltemos ao Senhor.

ex toto corde.
       

Um comentário:

josiasleonardo disse...

Caro pastor, concordo com o senhor em todos os pontos;esse não é o Evangelho que Paulo pregava, é um outro.Precisamos mesmo dizer a verdade.