O Professor polêmico

Quem na posição de aluno, ainda não interpelou um professor de Escola Dominical em relação a alguma dúvida bíblica e recebeu a famosa resposta: “Irmãos eu não quero entrar nesta questão porque ela é muito polêmica”. Geralmente os alunos têm o interesse de ser esclarecido em relação a alguma questão que envolve princípios de vida cristã, no lado moral, espiritual e secular; e que por sua vez estão gerando certos conflitos em suas mentes. Mais infelizmente, o aluno volta frustrado para casa na manhã de domingo. Isto acontece por uma infinidade de problemas que envolvem não o aluno, mas diretamente o professor. Gostaria de citar apenas alguns que julgo mais importante, tais como: professores leigos, ou sem nenhuma alfabetização, professores neófitos e relaxamento nos estudos da lição e na compra de livros e revistas de ajuda bibliológica que, aliás, são baratos; muita discrepância entre os próprios professores; muitas tradições e moderações exageradas (costumes denominacionais), algumas até coerentes, mas não significando que são infalíveis. Então, como um álibi ou meio de defesa, tais professores sempre respondem: “Irmãos esta questão é muito polêmica! Não vamos tomar tempo com ela!”.

Mas...; e se formos analisar esta frase, para ver se ela está de acordo com o magistério cristão? Será que há alguma coerência em tal resposta como escape?
Antes de tudo vamos ao DICIONÁRIO AURÉLIO, conhecer a literalidade da expressão POLÊMICA: S.F. que no caso em questão quer dizer: controvérsia, ou, assunto em que sempre haverá contestação ou discórdia. Então, diga-se de passagem, aquele que tem o “Dom do ensino” Do lat. Donum ensignare, jamais deveria ter nos lábios a frase supra citada. Tal dom é dado pelo Espírito Santo, que habilita o obreiro cristão a transmitir, com eficiência incomum as verdades referentes ao Reino de Deus (Rm 12. 7), e, como já dissera Claudionor Correia de Andrade: “Embora este dom independa da cultura, não prescinde dela.”

Todo mestre que prima pela educação e fidelidade absoluta aos princípios da Palavra de Deus, do lat. (DOUTRINA ORTODOXA), deve excluir de seu vocabulário esta expressão tão pequena, tão ínfima, porem de um grande impacto psicológico nas mentes dos irmãos alunos que buscam por respostas. Digo isso por que se o mestre é chamado por Deus, se for um detentor da Verdade, e não tiver resposta às indagações de seu aluno! Então que outro lugar, o irmão iria buscar por respostas satisfatórias para suas indagações, se não for na Escola Dominical!? Bom, só se for buscar tais respostas nos mestres do “evangelho segundo Alan Kardeck!”(ironicamente falando é claro).
São Paulo escreveu a Tito e o aconselhou a:

Reter fiel a Palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar na sã doutrina como para convencer os [contradizentes](Tt 1.9).

Agora para aguçar o seu aprendizado, procure pesquisar a expressão entre colchetes.
Se analisarmos a Bíblia, veremos um diferencial, (DOM), que está sobre o professor do magistério cristão, lhe dando segurança, destaque e autoridade, (claro que de forma humilde e modesta); logo, por mais que seja jovem, nunca deve se envergonhar ou se intimidar diante de um corpo discente bem classificado por alunos de várias idades e níveis intelectuais, pois Tito também é aconselhado em relação aos tais (Tt 2.1-10).

Quando nos deslocamos de nossos lares para irmos à Escola Dominical, é porque desejamos chegar ali e recebermos um estudo dirigido que possa nos satisfazer moralmente e espiritualmente, mais na maioria das vezes isto não acontece.
Os mestres devem entender uma coisa: Por mais que tenham a revista da EBD nas mãos com a lição do dia, toda esboçada e com subsídios suplementares para professores, ainda assim, existem infinidades de perguntas próprias da lição, que os comentaristas não conseguem registrar por questões de limitação de espaço.
Partindo deste pressuposto, os professores devem ir atrás de meios suplementares de ajuda, para que possam estar prontos no dia de encontro com seus alunos; e assim quando surgirem as perguntas polémicas, o mestre terá uma resposta singular e bíblica para que o aluno fique inteirado, tendo uma posição concreta e detalhada sobre o assunto; pois o estudou dentro de padrões ortodoxos, que o levará a viver bem, como um cristão.
O aluno ficará feliz com o seu professor, que usou as escrituras para corrigir-lhe as dúvidas.
A Bíblia é um verdadeiro compêndio axiomático, e dela afirmo:

Toda escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente preparado para toda boa obra” (2 Tm 3- 16, 17).

Mais, contudo se o PROFESSOR POLÉMICO continua com suas frases e respostas polémicas; então o mesmo está ocupando um espaço que não lhe diz respeito; logo lhe cabe, pelo menos a hombridade e humildade espiritual de desocupá-lo.
E você professor que tem o chamado do Senhor, mais está se sentindo faltoso nesta área, resta-lhe dizer algo propício para o momento:

“Cresça na graça e no conhecimento do Senhor, para que seja bem sucedido em sua carreira de mestre no magistério cristão”.
“Seja preparado para esta boa obra e o Senhor te recompensará“.

EX TOTO CORDE
Cícero F. de Souza.

Um comentário:

Ev. Israel Trota disse...

Olá meu irmão,
agradeço o comentário feito no meu blog. Esava meditando em seus artigos... Parabéns!!! Seus artigos são profundos, polêmicos e esclarecedores... Ousadia na escrita é uma qualidade digna de condecoração...
Saudações em Cristo